90 anos, 90 Palavras (43)

Nome

“Ali vai minha mãe, e depois, voltando-se para o homem alto que lhe estava perto, perguntou, Que nome é o seu, e o homem disse, naturalmente, assim reconhecendo o direito de esta mulher lhe fazer perguntas, Baltasar Mateus, também me chamam Sete -Sóis” (in ” Memorial do Convento” )

Há muito tempo que esta frase dita por Blimunda ecoa em mim: “Que nome é o seu”. Pergunta de uma mulher jovem, ativa, curiosa, que toma a iniciativa de saber o nome daquele que vai ser o seu amado e companheiro dos dias futuros. Sujeito de desejo e não mero objeto, Blimunda questiona um homem na multidão. Dele quer saber o nome. E isso lhe bastará para o fazer entrar na sua casa, corpo e vida. Conhecer-lhe pois o nome, aquilo que o distingue, lhe dá singularidade. E respeitabilidade. Um nome, o nosso rosto.

Maria Leiria

Professora de Português Reformada

Lisboa

Pin It on Pinterest

Share This