Exposição de Fernando Lemos em Famalicão

A pedido da Fundação Cupertino de Miranda o artista procurou nos seus arquivos e o resultado desse trabalho pode ser visto nesta exposição onde são exibidas uma série de fotografias inéditas.

Fernando Lemos nasce em Lisboa a 3 de Maio de 1926, frequenta a Escola António Arroio e a Sociedade Nacional de Belas-Artes.

Iniciada em Lisboa, a carreira artística de Fernando Lemos desenvolve-se, sobretudo, na área da pintura e do desenho. Tem hoje trabalhos expostos em museus e colecções particulares no Brasil, em Portugal, Espanha, Suíça, Polónia, França, Estados Unidos, Japão, Holanda, Argentina. Trabalhou, ou trabalha, também com tapeçaria, pastilha vidrada, vitrais, azulejos e esculturas em ferro; e ainda é fotógrafo e poeta.

Em pleno período Salazarista e depois da provocatória exposição surrealista do Chiado, em que participou, resolve emigrar para o Brasil, onde se junta ao grupo dos exilados, vindo posteriormente a ser proibido de reentrar em Portugal, uma situação que se manteve até a Revolução de Abril.

Nas suas próprias palavras descreve-se da seguinte forma: “Fui estudante, serralheiro, marceneiro, estofador, impressor de litografia, desenhador, publicitário, professor, pintor, fotógrafo, tocador de gaita, emigrante, exilado, director de museu, assessor de ministros, pesquisador, jornalista, poeta, júri de concursos, conselheiro de pinacotecas, comissário de eventos internacionais, designer de feiras industriais, cenógrafo, pai de filhos, bolseiro, e tenho duas pátrias, uma que me fez e outra que ajudo a fazer. Como se vê, sou mais um português à procura de coisa melhor”.

A exposição pode ser vista na Fundação Cupertino de Miranda, em Famalicão, até ao dia 26 de Fevereiro de 2010.

fjs

Fernando Lemos, 1950

Entrevista de Fernando Lemos ao programa “Câmara Clara”, na RTP2

Pin It on Pinterest

Share This