2014, o ano de “Alabardas” e de muito mais

2014, o ano de “Alabardas” e de muito mais

Se fosse necessário escolher apenas um acontecimento, o lançamento de Alabardas, alabardas, Espingardas, espingardas foi o momento mais representativo do ano de 2014 para a Fundação José Saramago. A publicação do romance inacabado do Prémio Nobel, quatro anos depois de sua morte, resultou do trabalho conjunto dos editores do escritor no Brasil, em Itália, Portugal, e no mundo hispânico. Mais do que um livro, Alabardas é um libelo contra a barbárie, e assim foi apresentado no dia 2 de outubro em Lisboa, na sessão de lançamento mundial do romance. O livro também foi apresentado em Sevilha, em Lanzarote, no Porto e em Guadalajara, México.


Mas 2014, foi também um ano cheio de outros momentos marcantes na Fundação José Saramago, que aqui recordamos:

* O “Ano Cortázar”, uma série de atividades (música, mesa redonda, teatro), organizadas pela fundação em parceria com a Casa da América Latina e a Embaixada da Argentina, para assinalar os cem anos de nascimento de Julio Cortázar.

cabeçalho_ano_cortazar_site

* A Blimunda, revista mensal da FJS criada há quase três anos, de edição mensal digital de acesso livre, conheceu uma edição em papel.

blimunda 260x200

* O fotógrafo João Francisco Vilhena levou para Lanzarote, Matosinho, Barcelona e Lisboa a sua exposição sobre a ilha de Lanzarote e José Saramago (trabalho que também foi transformado em livro).

lanzarote_barcelona

* Os 40 anos do 25 de Abril foram assinalados com uma série de atividades em associação com a Câmara Municipal de Lisboa.

logo 25 abril FJS

* Nova editora de José Saramago em Portugal, a Porto Editora apresentou as capas das novas edições da obra de José Saramago. Personalidades de diversas área foram convidadas para escreverem o título de cada uma das obras. O resultado é um mosaico de cores e caligrafias, numa homenagem não só a José Saramago, mas à cultura em língua portuguesa.

porto_editora_jose_saramago

* O grupo de teatro Trigo Limpo/Acert, de Tondela, levou pelo segundo ano consecutivo a sua adaptação de A Viagem do Elefante a várias localidades portuguesas. O resultado dessa digressão foi perpetuado num livro e num disco apresentado em Tondela já no mês de dezembro.

salomao_vouzela

* Numa iniciativa conjunta com a Casa Fernando Pessoa, realizou-se pela terceira vez o Dia do Desassossego, uma série de atividades para homenagear José Saramago e Fernando Pessoa. 

logo_dias_do_desassossego

 

Lisboa vive os Dias do Desassossego (TVI)

Neste ano que agora acaba o auditório da Casa dos Bicos, sede da Fundação José Saramago, foi palco de apresentação de dezenas de livros, de mesas redondas, peças de teatro, sessões de contos, concertos e exposições – a adaptação para banda desenhada, feita por João Amaral, do livro A Viagem do Elefante,  e a Revista de Estudos Saramaguianos foram dois desses momentos. Recebemos milhares de visitantes, desenvolvemos parcerias com outras instituições e marcámos presença em eventos culturais dentro e fora de Portugal. Participámos e recebemos ecos de dezenas de homenagens a José Saramago, uma delas feita pelo publicitário André Raposo a partir da crónica Carta a Josefa, minha avó. O vídeo realizado pelo André Raposo e pelo João Descalço já foi visto mais de 150 mil vezes no Youtube e emocionou-nos.


Como se percebe, 2014 foi um ano repleto de acontecimentos que contaram com a participação da Fundação José Saramago. Um ano de muito trabalho, de muita alegria e satisfação. Que em 2015 tenhamos tantos motivos para celebrar como neste ano que agora chega ao fim. Um bom e lúcido 2015 para todos!

Pin It on Pinterest

Share This