A difícil sobrevivência dos índios Awá da Amazónia vista por Sebastião Salgado

A sobrevivência dos pouco mais de 400 índios Awá está em risco, devido à destruição da floresta por “grileiros, posseiros e madeireiros”. Eles são um dos últimos povos cacçadores e recoletores da Terra e vivem no que resta da Floresta Amazónica do Maranhão, na Reserva Biológica do Gurupi. A repórter Miriam Leitão e o fotógrafo Sebastião Salgado fizeram uma extensa e comovente série de reportagens junto desta comunidade ameaçada da aldeia Juriti, publicadas no jornal Globo e disponível na edição online sob o título “Paraíso sitiado”. “Apesar de sua terra já estar demarcada, homologada e registrada com 116.582 hectares pela União, eles enfrentam uma ameaça real de assistir à destruição da floresta da qual são tão dependentes e de onde tiram o sustento de seus filhos. Ainda que a Justiça já tenha determinada a retirada desses ‘intrusos’ ou não índios, como define a Funai, os Awá temem pela própria sorte, se afirmam em sua coragem e não vacilam quando veem sua resistência em xeque. “Não temos medo. Vamos resistir”, dizem em discursos emocionados.”

Globo – Paraíso Sitiado

Pin It on Pinterest

Share This