Adaptação teatral de “As intermitências da morte” no Festival a Corte de Turim

A adaptação teatral de “As intermitências da morte” de José Saramago, por José Caldas e Gianni Bissaca, é apresentada ao público no dia 21 de julho no Festival de Teatro a Corte, na Cavallerizza Reale de Turim.

A peça, que teve estreia no Teatro Nacional de S. João, em maio de 2012, no âmbito do 35.º FITEI, no Porto, marca o encontro do encenador, dramaturgo e ator brasileiro José Caldas (diretor do Teatro Quinta Parede, do Porto) com o encenador, autor e ator italiano Gianni Bissaca (diretor do Itaca-Teatro de Turim). Fruto de um trabalho intensamente partilhado entre as equipas portuguesa e italiana e com música interpretada ao vivo, “As intermitências da morte” reelabora teatralmente a alegoria saramaguiana sobre o sentido da existência. 

 “No dia seguinte ninguém morreu”: assim começa o romance em que Saramago imagina o dia em que, cansada do ódio a que a humanidade a vota, a morte declara greve e suspende a atividade. A noção idílica de “vida eterna” degenera num ingovernável caos humano, social e político.

Com projeto, texto e dramaturgia de José Caldas e Gianni Bissaca, a peça conta com o desempenho dos dois autores e de Marco Alotto, Sara Alzetta e Tilike Coelho. A música original é de Marco Alotto, Tilike Coelho, Nicola Segatta e Paola Torsi.

 

 

Pin It on Pinterest

Share This