Bloomsday celebra Ulisses de James Joyce em todo o mundo

O James Joyce Center em Dublin encheu-se no sábado para o arranque da leitura pública de Ulisses, a assinalar o Bloomsday.

Milhares de entusiastas do escritor, vindos de todo o mundo, juntaram-se no sábado na capital da Irlanda, como acontece todos os anos desde 1954 – José Saramago participou numa dessas jornadas.

O Bloomsday evoca o dia 16 de junho de 1904 ao longo do qual decorre a ação de Ulisses de Joyce, centrada na figura de Leopold Bloom. Foi essa a data em que James e Norah Barnacle começaram a complexa e problemática relação que se prolongou ate à morte de Joyce em Zurique, em 1941. 

O centro das comemoraçoes foi o James Joyce Center, na North Great George’s Street em Dublin, onde logo pela manhã o Presidente da República da Irlanda iniciou a leitura de Ulisses diante de um pequeno-almoço como o descrito por Joyce, acompanhado por 111 escritores, número record. O presidente afirmou que o Bloomsday é “um dia muito importante não apenas do calendário literário de Dublin mas em todo o mundo é celebrado como o dia que deu origem à obra que mudou o mundo da literatura”.

 

Ao longo do Bloomsday, foram feitas, como habitualmente, leituras do livro em diferentes pontos de Dublin que Bloom percorre no romance. Milhares de pessoas vestiram roupas da época de Joyce e passaram o dia em celebração. Uma corrida com 50 mil participantes, um congresso literário internacional e um festival de teatro dedicado a Joyce decorreram nos últimos dias, bem como outras atividades que celebraram o facto de este ser o primeiro ano em que os direitos de autor de Joyce cairam no domínio público. Depois de décadas de dificuldades levantadas pelos herdeiros do escritor, em 2011 passaram 70 anos sobre a morte do escritor.

Entre as 10h00 de sexta-feira e as 14h00 de sábado, 111 escritores irlandeses suvcederam-se em leitouras públicas das rrespetivas obras, numa maratona que constitui um recorrde mundial. Cada escritor leu 15 minutos da obra que escolheu, e entre os 11 encontravam-se o nobelizado Seamus Heaney e autores como Roddy Doyle e Catherine Foley.

Irish writers break world record (The Irish Times)

Why Bloomsday Is Special This Year (BBC)

Bloomsday marked in Dublin  (The Irish Times)

 

 

 

Pin It on Pinterest

Share This