Cadernos de Lanzarote II (1995)

Cadernos de Lanzarote II (1995)

Portugal:

04851Porto Editora 2016 (1ª edição na Porto Editora; 3ª edição)

Disponível em formato e-book

A caligrafia da capa é da autoria do designer e artista plástico José Santa-Bárbara.

Um ano depois, o autor prossegue o desafio. Dia após dia, Saramago não esconde pormenor. Participações em colóquios, em Aveiro, Viseu, Faro e Coimbra. Sempre a literatura, algumas vezes até, de mãos dadas com a política.

Caminho – Leya 1995, 2.a ed., 1995

«Um ano depois, o autor prossegue o desafio. Dia após dia, Saramago não esconde pormenor. Participações em colóquios, em Aveiro, Viseu, Faro e Coimbra. Sempre a literatura, algumas vezes até, de mãos dadas com a política. A 8 de Junho regista uma noite, em Viseu, de vez as eleições ao Parlamento Europeu.» (Diário de Notícias, 9 de Outubro de 1998)

Círculo de Leitores 1998(incluído na obra Cadernos de Lanzarote – Diário I e Diário II)

Edições estrangeiras:

Brasil:

Companhia das Letras 1997(incluído na obra Cadernos de Lanzarote)

Os bastidores dos prêmios literários internacionais, a cumplicidade com amigos escritores como Jorge Amado, a luta contra o obscurantismo político e religioso que condena suas obras como subversivas e blasfemas, os impasses íntimos do escritor diante de seu trabalho: tudo isso está nas páginas destes diários de José Saramago, o maior autor português da atualidade, escritos entre 1993 e 1995 na pacata aldeia onde vive, em Lanzarote, uma das ilhas Canárias, ou em suas inúmeras viagens pelo mundo. Alternando a serenidade de quem já viveu muito com a indignação de quem não se cansa de lutar contra o que julga estar errado, Saramago dá neste livro um testemunho único de entrega à literatura e à vida.

Espanha:

Alfaguara 1997; 2001; 2011 (Colecção Biblioteca Saramago) (Trad.: Eduardo Naval)(incluído na obra Cuadernos de Lanzarote (1993-1995))

José Saramago nos revela en estas páginas su día a día en Lanzarote, adonde trasladó su residencia en 1993. Lo acompaña de preguntas y respuestas, de opiniones certeras y radiantes acerca de lo más cercano y lo más general, de comentarios sobre amigos y sobre el mundo que le ha tocado, que nos ha tocado, vivir.

Edicions 62 2001 (catalão) (Trad.: Núria Prats)

Itália:

Einaudi 2010; 2011 (Trad.: Rita Desti)(incluído na obra Quaderni di Lanzarote; Selecçao de textos)

«Scrivere un diario è come guardarsi in uno specchio di fiducia, addestrato a trasformare in belezza il semplice bell’aspetto o, nel peggiore dei casi, a rendere sopportabile la bruttezza massima. Nessuno scrive un diario per dire chi è. In altre parole, un diario è un romanzo con un personaggio solo».

Questa edizione è una scelta tra le pagine pubblicate nei Cadernos de Lanzarote tra il 1994 e il 1998. L’ultimo romanzo di José Saramago (Azinhaga, 1992) pubblicato da Einaudi è Il viaggio dell’elefante.

México:

Alfaguara (incluído na obra Cuadernos de Lanzarote (1993-1995))

Un itinerario vital y artístico que documenta el pasado con la misma fuerza y humanidad con que refleja el presente, para asomarse a lo próximo. Un nuevo interrogante sobre la obstinación de la vida, que conjura la indiferencia y el tedio del no ser.

Ver dossier de imprensa

Pin It on Pinterest

Share This