Gore Vidal morreu aos 86 anos

O escritor norte-americano Gore Vidal, autor de obras como “Lincoln”, “Império” e “Myra Breckenridge”, morreu na terça-feira aos 86 anos na sua casa em Hollywood, vítima de uma pneumonia, informou o sobrinho Burr Steers.

Gore Vidal foi um autor “prolífico, elegante e mordaz”, descreve hoje o jornal New York Times, tendo pertencido à última geração de escritores que também era verdadeiras celebridades, conhecidos mesmo por aqueles que não leram a sua obra, refere a Associated Press.

Contemporâneo de Norman Mailer e Truman Capote, Gore Vidal deixa centenas de ensaios, os romances “Lincoln” e Myra Breckenridge”, dois dos mais publicados, a peça de teatro “The Best Man”, e a obra “The City and the Pillar”, uma das primeiras a ter entre as personagens um homossexual assumido, tal como ele.

A Associated Press descreve-o como um “pensador desalinhado e independente” sobre literatura, cultura, política, que se opôs às guerras do Vietname e do Iraque, feroz crítico da administração de George W. Bush.

Eugene Luther Gore Vidal Jr. nasceu numa família marcada pela política, com um avô senador, Thomas Pryor Gore, e um pai que trabalhou para o antigo presidente Franklin Roosevelt. Ele próprio chegou a candidatar-se, pelos democratas, ao congresso norte-americano nos anos 1960 e nos anos 1980.

A estreia literária deu-se com o romance de guerra “Williwaw”, escrito quando servia nas Forças Armadas durante a Segunda Guerra Mundial e publicado aos 21 anos.

Pin It on Pinterest

Share This