Javier Marías recusa Prémio Nacional de Literatura de Espanha

O escritor madrileno Javier Marías recusou o Prémio Nacional de Literatura de Espanha que lhe foi atribuído, no valor de 20 mil euros, coinfirmando assim a atitude que assumiu desde 1995 de não aceitar prémios estatais.

“A minha atitude é antiga e não tem que ver com quem está no Governo”, disse ao El País. “O Estado não tem de dar-me nada para exercer a minha tarefa de escritor, que escolhi por minha própria iniciativa”, acrescentou. Perante a insistência dos jornalistas sobre se se tratava de uma declaração política devido aos os cortes orçamentais do Governo de Rajoy, esclareceu: “Talvez este momento, nesta situação política, acrescente mais um motivo à minha decisão”.Também sobre a hipótese de aceitar o prémio e doá-lo a uma instituitição, Javier Marías afirmou que “seria demagógico”: “Eles saberão o que fazer com o dinheiro, podem dá-lo às biblioteca públicas que têm orçamento zero”.

Numa crónica publicada em 2011 no El País, Javier Marías evocava o pai, o ensaísta Julián Marías, que nunca recebeu o prémio nacional de Ensaio. Recordava nesse texto nomes de escritores que nunca receberam prémios, como Juan Benet, Jaime Gil de Biedma ou Juam García Hortelano, bem como autores contemporâneoa que também têm sido “esquecidos”, como Enrique Villa-Matas e Eduardo Mendoza.

“Os enamoramentos”, romance escolhido pelo júri do prémio organizado pelo Ministério da Cultura de Espanha, será publicado este mês em Portugal pela Alfaguara, que recorda em nota de imprensa que Javier Marías tem obra publicada em mais de 50 países e mais de 6 milhões de exemplares vendidos em todo o mundo. Foi considerado o melhor romance de 2011 por um painel de 57 críticos literários espanhóis. 

Fontes: El País

Foto: Álvaro García, El País

Pin It on Pinterest

Share This