Mês do Desassossego (10)

Deveríamos pensar que cada conquista do progresso não pode ir contra as vidas humanas. Não há muitos anos falava-se do progresso científico e da moral. Dizia-se que era preciso desenvolver um sem deixar a outra para trás. Não sei muito bem o que se entende por progresso moral. Mas se lhe chamássemos respeito humano, talvez pudéssemos resolver o problema colocado pelo progresso científico. O progresso beneficia só uma minoria.
El Mundo, Madrid, 3 de janeiro de 2000

A grande aventura [humana para este século] é reconhecer que ficaram atrás milhões de pessoas e vão ficar cada vez mais para trás. Vamos concentrar os recursos, sabendo que não se pode parar. Mas vamos andar mais lentamente, e vamos distrair – é essa a palavra – os recursos maciços daqui, do Ocidente, e vamos aplicá-los em trazer tão perto quanto possível em comodidades, esperança de vida, a ponta extrema da humanidade…
Seara Nova, Lisboa, n.o 72, abril-junho de 2001

in “Saramago nas suas Palavras”, pág. 157 e 159

Pin It on Pinterest

Share This