Uma edição especial de “O conto da ilha desconhecida” para ajudar Moçambique

Uma edição especial de “O conto da ilha desconhecida” para ajudar Moçambique

Nos próximos dias chega às livrarias portuguesas uma edição especial de O conto da ilha desconhecida, de José Saramago, exclusivamente dedicada à angariação de fundos para apoiar o trabalho da Cruz Vermelha Portuguesa na assistência às vítimas do Ciclone Idai.

Trata-se de uma iniciativa conjunta da Porto Editora, da Fundação José Saramago e herdeiras do escritor, que envolve também as Livrarias Bertrand, a FNAC e várias livrarias independentes, sendo que todas as receitas e direitos de autor relativos à venda deste livro serão doadas a favor daquela instituição.

Pilar del Río, Presidenta da Fundação José Saramago, afirma, a propósito desta iniciativa, que esta é uma maneira mais de tornar efectiva a “ética da responsabilidade” que José Saramago defendia como norma fundamental de convivência.

Para Vasco Teixeira, Administrador e Diretor Editorial do Grupo Porto Editora, o envolvimento no movimento coletivo de apoio ao povo moçambicano foi espontâneo: “Logo nos primeiros dias, a nossa editora em Maputo, a Plural Editores Moçambique, mobilizou-se no apoio direto através do fornecimento de bens essenciais. Agora, com esta edição especial, esperamos dar mais um contributo para que, quem está no terreno, possa dar a melhor ajuda. Perante a dimensão da catástrofe, o envolvimento de todos é fundamental”.

Esta edição exclusiva de O conto da ilha desconhecida, que José Saramago acabou de escrever a 27 de março de 1997, estará disponível em todo o circuito livreiro, devidamente identificada com uma mensagem alusiva à iniciativa.

Publicado, pela primeira vez, em 1997, pelo Pavilhão de Portugal – Expo 98 e pela Assírio & Alvim, este conto narra uma história de otimismo e perseverança na concretização dos sonhos, protagonizada por um homem que procura um barco para navegar até uma ilha que ninguém sabe existir. O conto foi por diversas ocasiões alvo de edições especiais para apoiar a Cruz Vermelha em campanhas de reconstrução de países afectados por catástrofes naturais, como em El Salvador ou na Colômbia.

Em 2010, em resposta ao forte terramoto que destruiu o Haiti, a FJS colaborou também com a Cruz Vermelha, então com uma edição especial de A Jangada de Pedra, cujas receitas reverteram, na totalidade, para apoiar a reconstrução do país. No seu Caderno, José Saramago escrevia então o texto que pode ser lido no seguinte endereço:

https://caderno.josesaramago.org/62310.html

 

 

Pin It on Pinterest

Share This