Obrigado, David

Obrigado, David

Morreu ontem, dia 15, em Lisboa, o grande pintor português David de Almeida, colaborador desde a primeira hora da FJS e amigo de José Saramago. Deixa tantas saudades que neste primeiro momento apenas podemos dizer: Obrigado, David. Seu corpo se encontra em câmara ardente na Basílica da Estrela. O funeral sairá amanhã às 12h45 para o Cemitério do Alto de São João, onde será cremado às 14 horas.

Até ao dia 23 de outubro, a mostra “A Ética na Mão”, uma retrospetiva de gravuras de David de Almeida, pode ser vista o na Biblioteca Nacional de Portugal.

À família e a todos os que o admiravam, um abraço.

 

Breve biografia:

David de Almeida nasceu em S. Pedro do Sul em 1945. Frequentou, na Escola António Arroio, o Curso de Gravador Litógrafo e na Gravura – Cooperativa de Gravadores Portugueses um curso de Gravura em metal sob a orientação de Maria Gabriel. Subsidiado pela Fundação Calouste Gulbenkian, estagiou nos Moinhos do Vale do Lagat, em França, no sentido de se especializar na feitura manual de papel. Cursou holografia no Goldsmith College (London University) e estagiou com Stanley Hayter no Atelier 17 em Paris, como bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian. Artista vastamente premiado, do seu currículo fazem parte inúmeras exposições individuais em Portugal e no estrangeiro, intervenções em espaços públicos e representação em coleções e museus.

Leia aqui um texto de José Saramago sobre David de Almeida

Pin It on Pinterest

Share This