Prémio Luso Espanhol de Arte e Cultura para Carlos Saura

O realizador espanhol Carlos Saura foi hoje distinguido pelo júri do Prémio Luso-Espanhol de Arte e Cultura pelo filme “Fados”, considerado “ponte entre as duas culturas”.

O filme, rodado em 2007, tem a participação de Camané, Carlos do Carmo, Mariza, Cuca Roseta, Vicente da Câmara, Miguel Poveda, Lila Downs e Caetano Veloso.

O tema “Fado da Saudade”, interpretado por Carlos do Carmo, recebeu em 2008 o Prémio Goya para a Melhor Canção Original, pela Academia espanhola das Artes Cinematográficas.

O júri reuniu-se esta manhã no Centro Cultural de Belém, em Lisboa, juntando personalidades de Portugal e Espanha: os escritores portugueses Inês Pedrosa, diretora da Casa Fernando Pessoa, João de Melo e Patrícia Reis, editora da revista Egoísta Patrícia Reis; os jurados espanhóis foram Pilar del Río, presidenta da Fundação José Saramago, José María Valenzuela, diretor do Instituto Cervantes em Lisboa, e Trinidad Nogales, conselheira da Cultura da Junta da Extremadura.

O Prémio Luso-Espanhol de Arte e Cultura, bienal, foi instituído pelos ministérios da Cultura de Portugal e de Espanha, em 2006, com o objetivo de “distinguir um autor, pensador, criador ou intérprete vivo, ou ainda uma pessoa coletiva sem fins lucrativos, que, por intermédio da sua ação na área das artes e cultura, tenha contribuído significativamente para o reforço dos laços entre os dois Estados, e para um maior conhecimento recíproco da criação ou do pensamento”.

O poeta José Bento, em 2006, o professor de Filologia Galega e Portuguesa Perfecto Quadrado, em 2008, e o arquiteto Siza Vieira, em 2010, foram já distinguidos com o galardão ibérico, que tem o valor de 75.000 euros e é constituído por um troféu da autoria de Fernanda Fragateiro.

Fonte: DN

Pin It on Pinterest

Share This