Printemps Littéraire Brésilien 2019: Qual Brasil? Qual literatura?

Printemps Littéraire Brésilien 2019: Qual Brasil? Qual literatura?

No dia 30 de maio, pelas 18h30, a Fundação José Saramago acolhe uma sessão da Printemps Littéraire Brésilien em Portugal. Participam na conversa: Marcelino Freire, Ana Kiffer, Mirna Queiroz, Maria Esther Maciel, Leonardo Tonus e Maria João Cantinho (moderação).

A entrada é livre, sujeita à lotação da sala.

 

Printemps Littéraire Brésilien – 2019

Primavera Literária Brasileira – 2019

Qual Brasil ? Qual Literatura ?

 

O Printemps Littéraire Brésilien inscreve-se numa perspectiva pedagógica e se estende aos campos da promoção e divulgação da cultura e da literatura lusófonas. Trata-se de um encontro anual inicialmente idealizado para promover e ampliar a formação de estudantes em letras inscritos nos cursos de português em instituições de ensino. Desde a sua criação, em 2014, pelo professor Leonardo Tonus (Sorbonne Université) o evento já se consolidou como um importante espaço de discussão literária, potencializando leituras e enriquecedoras experiências culturais em torno da língua portuguesa.

Marcelino Freire nasceu em 1967, em Sertânia, Nordeste do Brasil. É conhecido por suas obras, constantemente adaptadas para o teatro, e por sua atuação como professor de oficinas de criação literária, além de produtor cultural. Vive em São Paulo desde 1991. Escreveu, entre outros, “Contos Negreiros” (Editora Record, 2005), com o qual foi vencedor do Prêmio Jabuti, livro também publicado na Argentina e no México. Em 2013 lançou, pela Editora Record, o romance “Nossos Ossos” (Prêmio Machado de Assis), também publicado em Portugal pela Editora Nova Delphi, e ainda na Argentina e na França. É o criador e curador da Balada Literária, evento que reúne, desde 2006, escritores nacionais e internacionais pelo bairro da Vila Madalena, em São Paulo. Em 2018, lançou o livro “Bagageiro”, reunindo o que ele chama de “ensaios de ficção” (Editora José Olympio).

Mirna Queiroz é jornalista e editora, com mestrado em Estudos Culturais pela Universidade de São Paulo (USP). Atualmente vive em Lisboa. É fundadora e diretora executiva da revista Pessoa (www.revistapessoa.com), referência na promoção da literatura de língua portuguesa. Organizou e publicou coletâneas em português, inglês, francês e árabe. Organizou e participou de eventos literários em cidades do Brasil, em Portugal, na França, nos Estados Unidos, na Bélgica e nos Emirados Árabes Unidos. Projetou o Centro de Referência da Língua Portuguesa para o Museu da Língua Portuguesa a ser lançado em 2020, no âmbito da reinauguração do Museu. Foi curadora da programação da Fundação Roberto Marinho/Museu da Língua Portuguesa para as edições 2017/2018 da FLIP – Festa Literária Internacional de Paraty, foi curadora da programação cultural da exposição “A língua portuguesa em nós”, no MAAT, e co-curadora do Prêmio Oceanos de Literatura em Língua Portuguesa, em 2018.

Ana Kiffer é escritora, colunista da Revista Pessoa onde vem há dois anos escrevendo séries de ensaios e de ficções poéticas, uma delas traduzida para o inglês e publicada pela Words Without Brothers em 2018. Publicou o livro de poemas Tiráspola e Desaparecimentos pela Editora Coletivo Garupa (RJ) em 2017, no prelo o livro também de poemas Todo Mar pela Editora Urutau (SP), traduziu e organizou o livro de cartas de Antonin Artaud, A Perda de Si, pela Editora Rocco (RJ) em 2018, além do seu livro Antonin artaud – EDUERJ- 2016 e outros ensaios. É Professora do Programa de Pós-Graduação em Literatura, Cultura e Contemporaneidade da PUC-Rio desde 2005. E atualmente é Professora Visitante Sênior pela CAPES em Paris 7.

Leonardo Tonus é Professor Livre Docente na Sorbonne Université (França). Membro do conselho editorial e do comitê de redação de diversas revistas internacionais, atua nas áreas de literatura brasileira contemporânea, teoria literária e literatura comparada, com pesquisas sobre imigração. Em 2015, foi curador da parte francesa do Salão do Livro de Paris e, em 2016, da exposição Oswald de Andrade: passeur anthropophage no Centre Georges Pompidou (França). Em 2014, recebeu a condecoração de “Chevalier des Palmes Académiques” pelo Ministério de Educação francês e, em 2015, a de “Chevalier des Arts et des Lettres” pelo Ministério da Cultura francês. Publicou vários artigos sobre autores brasileiros contemporâneos e coordenou, entre outros, a publicação dos ensaios inéditos do escritor brasileiro Samuel Rawet (Samuel Rawet: ensaios reunidos. Civilização Brasileira, 2008) e as antologias La Littérature brésilienne contemporaine – spécial Salon du Livre de Paris 2015 (Revista Pessoa, 2015), Olhar Paris (Editora Nós, 2016) e Escrever Berlim (Editora Nós, 2017). Publicou em 2018 sua primeira coletânea de poesias intitulada Agora vai ser assim ( Editora Nós, 2018).

Maria Esther Maciel nasceu em Patos de Minas (MG) e mudou-se para Belo Horizonte em 1981. É professora titular de teoria da literatura comparada na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Tem mestrado em Literatura Brasileira e doutorado em Literatura Comparada pela mesma instituição, onde também coordenou o Transverso – Fórum de Criação e Estudos Poéticos. Fez Pós-Doutorado em Literatura e Cinema na Universidade de Londres e em Literatura Comparada pela USP. Foi cronista semanal do Caderno de Cultura, do jornal Estado de Minas, entre 2011 e 2014. Estreou na ficção com O livro de Zenóbia, finalista do prêmio Portugal Telecom de 2005. Seu segundo romance, O livro dos nomes, foi finalista do Prêmio São Paulo de Literatura, do Prêmio Portugal Telecom e do Prêmio Jabuti em 2009. Recebeu menção especial no Prêmio Casa de las Américas 2009. Foi uma dos representantes do Brasil na Feira do Livro de Frankfurt em 2013. Participou da mesa “O Falcão e a Fênix” na Feira Literária de Paraty em 2016. Tem artigos e textos literários publicados em vários periódicos do Brasil e do exterior.

Maria João Cantinho nasceu em Lisboa em 1963. Doutorada em Filosofia, publicou ensaio, ficção e poesia. Colabora com várias publicações como Colóquio-Letras, JL, PensarDiverso (Universidade da Madeira), etc. Tem publicado em diversas revistas electrónicas como Caliban, Revista Pessoa, Agulha, entre outras. É docente e membro integrado do Centro de Filosofia da Faculdade de Letras de Lisboa e do Centre d’Études Juives et de Philosophie Contemporaine de Philosophie da Universidade Sorbonne IV.

 

Pin It on Pinterest

Share This