Raised from the Ground (Levantado do Chão) entre os “must-read” de Oprah Winfrey

Raised from the ground (Levantado do Chão) esteve entre os 16 livros recomendados como “must-read” por Oprah Winfrey em janeiro, e continua a receber boas críticas quer nos jornais quer nos blogues.

 “Não é só a aspereza do mundo físico ou as injustiças perpetradas pelos capatazes e os patrões; Saramago descreve as indignidades domésticas que transmitem uma tristeza mortal”, diz a escritora e realizadora independente Virginia Friedman no jornal The Post and Courier, de Charleston, Carolina do Sul (EUA), sobre o livro de José Saramago Levantado do Chão, agora publicado em inglês.

Já em finais de dezembro Tinha sido publicda uma crítica no the New York Times, assinada pelo escritor Stephen Heighton, que sublinha que o esforço dea tradutora Margaret Jull Costa “deu-nos acesso, finalmente, ao primeiro grande trabalho de um escritor maior, um romance com uma ressonância relevante para o nosso próprio tempo.

Diz Virginia Friedman: “Saramago toma liberdades. Escreve frases extensas como maratonas e não se preocupa em separar os diálogos com parágrafos inequívocos, nem sequer aspas. Em vez disso, uma linha de diálogo invade outra, apenas com ‘ele disse’ ou ‘ela disse’. Por vezes fala com grande sabedoria, e outras vezes, inesperadamente, com humor, mas toda a prosa de Saramago é construída sem qualquer sentido de distância das personagens que criou. Talvez porque as origens de Saramago estão entre as pessoas sobre as quais escreve; os seus avós eram analfabetos, camponeses sem terra, e estas pessoas, a terra e o próprio tempo parece ser onde Saramago instalou a sua confiança.”

“Dizer apenas que é uma história negra sobre a vida dos trabalhadores oprimidos é subvalorizar o poder de linguagem de Saramago, que consegue fazer do simples ato de beber água um horror tangível”, acrescenta, dando como exemplo: “A água que se bebe do quartão não tarda que fique mole, doentia, como se eu agora a estivesse a beber de um brejo, de borco, quero lá saber de vermes e bichas, que é esse o nome que damos aqui às sanguessugas”. 

Também o blogger Philip Lee, em Quintessentialruminations, publicou um texto sobre o mesmo livro, começando por mostrar surpresa por tsó ao fim de 32 anos Levantado do Chão ter chegado aos leitores anglófonos.

A tradução de Margaret Jull Costa – com o título Raised from the ground – foi publicada nos Estados Unidos pela Houghton Mifflin Harcourt.

Oprah.com

The Post and Courier

The New York Times

Quintessentialruminations

Pin It on Pinterest

Share This