Texto #11: A senhora Maria, sádica sem o saber

 

TEXTO #11:

“Veio a senhora Maria à hora do costume, depois do almoço, e mal entrou pôs-se a fungar de um modo que tanto tinha de discreto como de ostensivo, cometimento em extremo difícil de alcançar, pois leva a dupla finalidade de parecer disfarçar que se pretenda saber algo, mostrando, ao mesmo tempo, que não se está disposto a permitir que o outro se dê por desentendido. É, por excelência, uma arte diplomática, mas dirigida pela intuição, se não pelo instinto, e que, em geral, atingia o seu objectivo principal, que era o de criar no revisor um vago sentimento de pânico, como se visse prestes a serem revelados em público os seus mais ocultos segredos. A senhora Maria é sádica e não o sabe.”
José Saramago, in História do Cerco de Lisboa (1989)

Durante o mês de março, seguindo a sugestão dos amigos argentinos do Mundo Blimunda, a Fundação recuperará palavras de Saramago sobre as mulheres. Veja os textos anteriores:  

TEXTO #1
TEXTO #2
TEXTO #3
TEXTO #4
TEXTO #5
TEXTO #6
TEXTO #7
TEXTO #8
TEXTO #9
TEXTO #10

Pin It on Pinterest

Share This