O Silêncio da Água

Portugal:

fjs

Editorial Caminho

2011 (Ilustrações de Manuel Estrada)

«A José, que fez falar a água.» M. Estrada

«Voltei ao sítio, já o Sol se pusera, lancei o anzol e esperei. Não creio que exista no mundo um silêncio mais profundo que o silêncio da água. Senti-o naquela hora e nunca mais o esqueci.» José Saramago

A partir de uma recordação de infância, José Saramago compôs uma fábula universal que sobressai pela sua sabedoria. Manuel Estrada, um dos maiores artistas gráficos contemporânes, recria com mestria toda a profundidade desta história memorável.

Edições estrangeiras:

Brasil:

fjs

Companhia das Letras

2011 (Ilustrações de Manuel Estrada)

Em uma tarde silenciosa, um garoto vai pescar à beira do Tejo e é surpreendido por um peixe enorme que lhe puxa o anzol. Infelizmente, a linha arrebenta, deixando-o escapar. Ele corre até a casa dos avós, com a esperança de voltar, rearmar a vara e “ajustar as contas com o monstro”. Claro que, ao alcançar o mesmo ponto do rio, o menino não encontra mais nada, apenas o silêncio da água. Sua tristeza só não é completa pois o peixe, como ele diz, “com o meu anzol enganchado nas guelras, tinha a minha marca, era meu”.

Esse menino foi José Saramago, que narra neste livro uma aventura de infância que, para ele, culmina em um despertar da lucidez. Ilustrado por Manuel Estrada, este pequeno conto autobiográfico se torna uma fábula de extraordinária beleza e sabedoria.

Coreia:

Sallim Publishing

2012 (Ilustrações de Manuel Estrada)

Espanha:

fjs

Libros del Zorro

Rojo

2011 (Ilustrações de Manuel Estrada) (castelhano e catalão)

«Regresé al lugar, el sol ya se había puesto, lancé el anzuelo y esperé. No creo que exista en el mundo un silencio más profundo que el silencio del agua. Lo sentí en aquella hora y nunca lo he olvidado.»

A orillas del río Tajo, un niño está a punto de atrapar al gran pez. En el mismo momento que pierde a su presa, comienza para él el despertar de la lucidez. A partir de un recuerdo de infancia, José Saramago elabora una fábula de gran belleza y sabiduría que Manuel Estrada recrea maravillosamente.

Grécia:

Kastaniotis

2012 (Ilustrações de Manuel Estrada)

Επέστρεψα στο ίδιο σημείο,

ο ήλιος είχε πια δύσει,

έριξα το αγκίστρι και περίμενα.

Δεν πιστεύω πως υπάρχει στον κόσμο

άλλη σιωπή πιο βαθιά από τη σιωπή του νερού.

Το ένιωσα την ώρα εκείνη

και δεν το λησμόνησα ποτέ.

Ένας σπουδαίος συγγραφέας θυμάται τα χρόνια που ήταν κι αυτός παιδί. Μόνο που οι αναμνήσεις μας, όταν ξέρουμε να τις διηγηθούμε ωραία, μοιάζουν με το καλύτερο παραμύθι που γράφτηκε ποτέ…

Turquia:

Kirmizi Kedi

2012; 2013 (edição de bolso) (Ilustrações de Manuel Estrada)

Pin It on Pinterest

Share This